quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Tenebrosas transações

O maior escândalo político da República brasileira, o mensalão, teve, enfim, os protagonistas condenados e com as penas determinadas. O ex-chefe da Casa Civil, José Dirceu, o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares, e o ex-presidente do partido, José Genoino, pegaram, juntos, mais de 26 anos de cadeia. O trio, condenado pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa, terá que pagar, ainda, multas no valor de R$ 1,5 milhão. Click abaixo para continuar lendo a manchete.

Obs.: Visite o novo site de notícia de Ipu -  Portal de Notícias Aconteceu Ipu (Click Aqui).

Em um julgamento marcado por debates acalorados tanto dentro do Supremo Tribunal Federal, como nas ruas, onde os cidadãos manifestaram-se das mais diversas formas, os ministros decidiram, por maioria, pôr na cadeia o chamado núcleo político que operava, no Congresso, a compra dos votos dos parlamentares com recursos públicos.
Durante meses a fio, milhões de brasileiros, de todas as idades e classes sociais, leram, ouviram e assistiram toda cobertura jornalística através da imprensa, que, diga-se, fez o seu papel ao analisar o caso e investigar, a seu modo, os tentáculos desse obscuro plano macabro para solapar a democracia.

A síntese perfeita de todo o mensalão pode ser resumida na letra da música “Vai Passar”, do cantor e compositor carioca Chico Buarque. Diz o sambista que “dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações”.

Se a condenação, claro, pode ser festejada por todos aqueles que trabalham por um País mais justo, todavia, faz-se necessário não esquecer que ainda é preciso avançar muito na transparência governamental para fazer do Brasil uma Nação mais blindada contra a corrupção.

Quem sabe o mensalão e o enorme interesse da opinião pública no desfecho do caso sirvam como um divisor de águas no Brasil, de um momento em que a indignação com a corrupção levava a arroubos de indignação sem consequência alguma, passando para uma nova postura em que a impunidade não mais será tolerada.

Fonte: Jornal O Estado do Ceará

Nenhum comentário: