quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Vamos refletir sobre o Riacho Ipuçaba

Caro Blogueiro, louvo a ação de desobstruir o riacho em toda sua extensão, afinal o nosso rio não deve ser monopolizado por ninguém, e o considero como um patrimônio mundial. Porém gostaria de tecer algumas criticas: Diante da seca que se instala em nosso torrão, a água do nosso velho Ipuçaba está quase desaparecendo, ou melhor, já desapareceu da nossa vista, pois quando olho para serra não consigo ver nem um fio d'água (foto). Mas se observarmos bem após a ponte que fica no centro da cidade o rio renasceu e de forma vergonhosa, agora é rio de esgoto. Não sei até quando vamos ficar admirando a queda da bica sem olhar para seu curso. O Ipu precisa aprender a sanear seu esgoto e não despeja-lo no rio Ipuçaba. Ainda observei que quando o rio de "esgotopuçaba" chega lá pelas Pedrinhas já não tem mais vida alguma, somente poluição. E o pior, já testemunhei crianças tomando banho nesta águas fedidas e contaminadas. Sem comentar que elas desaguam no açude Ararás, no qual nós somos abastecidos e muitos a usam para beber. TEMOS QUE CUIDAR DA VIDA DO RIO, NÃO SÓ DO TURISMO QUE A BICA PROMOVE! Até lembrei-me de uma velha musica que ouvia na minha juventude "Homem primata capitalismo Selvagem". É uma pena, mas é isto que somos, todos nós ipuenses. Afinal o que temos feito para salvar o rio Ipuçaba? Que eu saiba nada! Somente estas ações paliativas que garantem um mínimo da bela queda d'água, que os turistas querem ver. E se não cuidarmos de suas fontes, quem vamos ter que prender para que a água volte a correr? Para Refletir!


- Jocélio Miranda - 
Teólogo e Especialista em Ética e Sociedade.

Nenhum comentário: